quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Peça- Rádio Nacional... As Ondas que Conquistaram o Brasil

Olá, rádionautas,

entre 2006 e 2008, fui ver por 2 vezes aqui no Rio de Janeiro, a peça Rádio Nacional... As Ondas que Conquistaram o Brasil. Esta peça, foi produzida pela Bibi Ferreira, remetente aos 70 anos da Emissora da Praça Mauá, feitos em 12 de setembro de 1936. Lembro-me que na época, fez muito sucesso no Teatro Maison du France quanto no Teatro Villa Lobos.

Aqui, destacarei o release da peça(feita pela BR Petrobrás Distribuidora). Este ano de 2012,a peça está em Belo Horizonte(Minas Gerais) com muito sucesso. Também, para ilustrar o blog No Ar... 90 Anos,porei a abertura da peça com a música Cantoras do Rádio(Braguinha).

Um abraço radiofônico,

Isabela Guedes
noar90anos@gmail.com

 
___________________

"Assistir o espetáculo é uma valiosa oportunidade para reviver a era de ouro do Rádio, através de canções que ganharam o Brasil nas vozes de Dalva de Oliveira, Ângela Maria, Emilinha Borba e Orlando Silva.
O musical narra a história de Araci, dona de casa exemplar e apaixonada pelo marido Abílio, funcionário dos Correios, boêmio e que não parava muito em casa. Araci, sem amigos próximos, tem como único prazer e companhia as canções e os programas da Rádio Nacional. É através das ondas da Rádio que ela conhece e viaja pelo mundo. Até o dia em que surge na vida do casal a vizinha, Iolanda. Desquitada, livre, independente e muito bem relacionada, Iolanda escolhe seus programas e companhias, e é a convivência com esta vizinha que vai provocar uma grande virada nas vidas de Araci e Abílio.
Bibi Ferreira foi responsável por dar vida a essa história ao lado do diretor Fábio Pilar. O espetáculo recebeu o Prêmio de Melhor Direção Musical/2006. Elvius Vilela, diretor musical, juntamente com o jornalista João Máximo, pesquisador musical, foram bastante sensíveis na escolha do repertório, que traz memoráveis canções como Na batucada da vida, Aquarela do Brasil, Chiquita Bacana, Boiadeiro, Asa Branca, Beijinho Doce, Solamente uma vez, entre outras."

Nenhum comentário:

Postar um comentário